A carreira na música pode ser meteórica, com ascensão tão rápida quanto a queda. Mas existem bons exemplos de carreiras duradouras, com passagem por vários estilos e com um portfólio cheio de sucessos. A cantora Ludmilla se encaixa perfeitamente nessa segunda descrição. Ela surfa bastante entre o pop e o funk e agora lançará o videoclipe de “Não Encosta” na sexta-feira (20), no maior canal brasileiro de música. O trabalho, que já é sucesso na internet, também ganhou uma superprodução. O Portal KondZilla aproveitou pra trocar uma ideia com a cantora.

“Agora o funk tá podendo mostrar todo o potencial. Em qualquer lugar que toca funk, ninguém fica parado”, adianta a cantora. “É alegria, é cultura, tá mais que certo de tá ganhando seu reconhecimento. O funk tá vivendo um momento que ele sempre mereceu”.

_mg_3804

Cria da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, Ludmilla começou no funk com o nome artístico de MC Beyoncé. “Fala Mal de Mim”, em 2012, foi seu primeiro grande sucesso e, um ano depois, a cantora assumiu seu nome de batismo como nome artístico. Com uma trajetória sólida, ela enxerga com bons olhos o momento atual do cenário do baile funk. Principalmente da novidade que chacoalhou o funk carioca: o famigerado 150BPM.

“Eu amo o 150BPM. Eu sou a voz na Baixada, sei de tudo que acontece por lá, sei das músicas que eles ouvem por lá e de todas as novidades”, explica. “Como eu também vou pra Zona Sul [região nobre do Rio de Janeiro], tenho como fazer essa transmissão de recado. Sempre que posso, gravo vídeo de sons em 150BPM e daí as pessoas que me seguem e não conheciam [o ritmo] passam a conhecer”.

Como Ludmilla, a cantora passou a explorar tudo o que a música pode oferecer, lançando sucessos como: “Cheguei” (200 milhões de visualizações), “Sou Eu” (84 Mi), “Bom” (111 Mi), “Hoje” (96 Mi), “24 Horas por Dia” (115 Mi) e o mais recente, “Solta a Batida” (19 Mi). Somadas, suas músicas passam de meio bilhão de visualizações no YouTube. Porém, mesmo com toda essa coleção de hits uma fama internacional, ela faz questão de manter as origens.

ludmilla2

A interação da cantora com suas origens no funk carioca é tão grande, que a ideia “original” da música saiu por meio de uma produção em 150BPM e que viralizou no canal do DJ Rennan da Penha, – uma das referências carioca no ritmo. “Essa música foi algo inesperado. Eu faço muita música – e pra muita gente. Um produtor [o Rennan] fez em 150BPM e estourou, daí a galera pediu videoclipe”.

E pedido de fã não é pedido, é ordem. Foi assim que surgiu a primeira parceria entre a KondZilla Filmes e Ludmilla. A cantora carioca explicou que teve a ideia do videoclipe de última hora e participou de toda criação do roteiro junto do diretor Gabriel Zerra, responsável pelos trabalho.

ludmilla3O diretor Gabriel Zerra e Ludmilla

“Pensei em algo bem descontraído, bem Ludmilla”, explica a cantora. Muito atenta aos movimentos, a MC estava muito animada em trabalhar com a produtora. Entre diversas conversas, esse trabalho foi uma realização para ambos: “Eu e o [diretor] KondZilla conversamos há bastante tempo sobre artistas do Rio de Janeiro[…]. Hoje está sendo o ‘ápice’ dessa conversa!”.

Ah, mas essa conversa vai ficar só por isso? Claro que não. Ludmilla já adiantou que vem muito mais coisas por aí. Enquanto isso, fica ligado no Canal KondZilla porque às 18h desta sexta-feira, a Ludmilla manda o papo e avisa geral: “Não Encosta no Meu Namorado!”.

Acompanhe Ludmilla pelas redes sociais:

Facebook // Instagram // Site oficial

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here